Sobre o Projeto RECARE

Devido às mudanças climáticas e à crescente intervenção humana, os solos estão progressivamente sob ameaça de um vasto conjunto de processos, como erosão do solo, compactação, desertifi cação,impermeabilização, contaminação e outros. Eles precisam de ser protegidos e conservados de forma adequada para assegurar que os seus diversos serviços e funções, como a produção de alimentos, a criação de zonas tampão e de fi ltração de água e o armazenamento de nutrientes e de carbono, não são perdidos ou reduzidos. O Projeto RECARE reuniu uma equipa multidisciplinar de 27 organizações diversas para encontrar formas de avaliação das atuais ameaças aos solos e encontrar soluções inovadoras para prevenir processos futuros de degradação do solo por toda a Europa.

Como os problemas de degradação do solo são causados pelarelação entre fatores biofísicos, socioeconómicos e políticos, os quais variam por toda a Europa, esses problemas são por definição específicos de uma área e ocorrem a diferentes escalas. Neste sentido, estão incluídos no RECARE 17 casos de estudo de ameaças ao solo, onde se irão estudar as várias condições que ocorrem pela Europa e tentar encontrar respostas apropriadas, usando uma abordagem inovadora que combine os conhecimentos científico e local. Ao integrar os resultados dos Casos de Estudo, as lacunas de conhecimento da nossa compreensão dos sistemas do solo e a sua interação com o Homem podem ser abordadas, e conclusões mais gerais podem ser tiradas para cada ameaça ao solo a uma escala europeia mais alargada.

Principal ameaça do solo 

Postfire MulchingTA Serra do Caramulo, localizada na região Centro de Portugal, é uma área vulnerável à erosão hídrica do solo, em particular após a ocorrência de incêndios florestais. Ao longo dos últimos anos, têm-se verificado que os incêndios florestais podem causar elevadas e, por vezes, extremas perdas de solos, o que compromete a recuperação dos ecossistemas. A erosão do solo pós- incêndio representa também uma séria ameaça à jusante, podendo causar cheias bem como assoreamento e poluição de cursos de água com sedimentos e cinzas.
Os incêndios florestais são um fenómeno recorrente em Portugal, inclusive na área de estudo do RECARE. Este regime de fogo deve-se às condições climatéricas propícias aos incêndios, mas também às mudanças no uso do solo, em particular a expansão de plantações com espécies florestais combustíveis em conjunto com o abandono do território. A gestão pós-incêndio em Portugal está geralmente limitada às operações florestais ‘regulares’, como o corte e plantação. 

Atividades do RECARE

Experiências de campo recentes demonstraram que a aplicação dos sobrantes florestais no solo (mulch) é altamente eficiente na redução da erosão pós-incêndio. Continuam, no entanto, existis várias lacunas de carácter científico sobre a utilização desta técnica após incêndios, nomeadamente:

i. a sua efetividade com quantidades de mulch mais reduzidas (e, portanto, mais baratas);
ii. a sua efetividade à escala da paisagem, usando esquemas de aplicação espacialmente explícitos (p.e. em faixas);
iii. a sua efetividade em comparação com outras medidas de estabilização de emergência;
iv. a sua efetividade em combinação com operações florestais regulares", em particular o corte.

Envolvimento dos agentes

Os utilizadores finais e os grupos de agentes locais mais relevantes para uma boa execução do RECARE incluem:

• Proprietários florestais privados, associações florestais e/ou organizações de produtores florestais;
• Conselhos diretivos dos baldios ou assembleia dos compartes dos baldios;
• Câmaras Municipais (p.e. municípios de Tondela e Águeda) e Juntas de Freguesias (p.e. São João do Monte e Mosteirinho);
• Gabinetes Técnicos Florestais (p.e. municípios de Tondela e Águeda);
• Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas;
• Autoridade Nacional de Proteção Civil e corporações de bombeiros;
• Empresas de madeiras e celuloses.

O objetivo do projeto é conseguir um envolvimento ativo dos agentes institucionais e particulares durante todo o processo de definição, implementação, monitorização e avaliação das medidas de prevenção e de restauro, e na instalação das áreas de demonstração.

Igualdade de géneros

Os agentes convidados para os workshops realizados no caso de estudo português incluíram homens e mulheres. A maioria dos participantes foram homens, representando proprietários florestais e o setor privado. As entidades governamentais, não-governamentais e de investigação foram representadas por homens e mulheres. Os participantes acreditam que a mudança para uma gestão sustentável da paisagem seria muito benéfica para todos

Contatos

Nomes: Jan Jacob Keizer & Sandra Valente
Funções: coordenador da equipa & investigadora responsável pela colaboração com os agentes e comunidades locais

Morada:
earth surface processes team (www.cesam.ua.pt/teamsite)
CESAM – Centro de Estudos do Ambiente e do Mar, Departamento de Ambiente e Ordenamento, Universidade de Aveiro, 3810-193 Aveiro, Portugal

Telemóvel: 936346447 & 969331052
Email: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it. & This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Pagina internet: www.cesam.ua.pt/jjkeizer & www.cesam.ua.pt/sandravalente

More information about the RECARE project in Portugese can be found in the project leaflet here. A printable version of the leaflet can be downloaded from here